BIOGRAFIA DO PÁROCO DE OVAR

Padre Manuel Pires Bastos
Manuel Pires Bastos nasceu em Loureiro a 7 de Maio de 1935. Filho de Manuel Maria Pereira Bastos e de Rosa Alves Pires, entrou para o seminário de Trancoso, Vila Nova de Gaia (Sagrado Coração de Jesus), em 1946, com 11 anos de idade. O seu padrinho de nascimento era o então pároco da freguesia, Padre Manuel Laranjeira, que teve uma grande influência no surgimento da sua vocação e na caminhada que fez até ao sacerdócio.
A sua ordenação foi a 3 de Agosto de 1958 na Sé Catedral do Porto (realizada por D. António Ferreira Gomes), celebrando depois a sua Missa Nova em Loureiro a 15 de Agosto, na Igreja Paroquial de S. João Baptista. O seu primeiro serviço eclesial foi na paróquia de Santo Tirso, onde exerceu as funções de Coadjutor da paróquia, tendo também neste período (1960/61) sido Assistente Diocesano Adjunto da Juventude Operária Católica. Entre 1961 e 1975 regressou ao “seu” Concelho para paroquiar a freguesia de Macinhata da Seixa, época em que fez parte da Comissão da Música Sacra do Porto e leccionou Religião e Moral na Escola Comercial e Industrial de Oliveira de Azeméis.
Logo a seguir ao Verão Quente de 1975 é chamado a desempenhar funções noutra paróquia, agora na de Ovar, onde também leccionou no Liceu local de Júlio Diniz. Tirou entretanto a licenciatura em história, pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Ao longo dos anos tem desempenhado o cargo de Assistente Espiritual de Movimentos Católicos, os Cursilhos de Cristandade, as Equipas de Nossa Senhora, os Cursos de Preparação para o Matrimónio, entre outros.
Em Ovar, para além da Acção Pastoral, exerce várias actividades sociais e culturais. Está integrado na Liga dos Centros Sociais (IPSS), por inerência do cargo de Presidente do Centro Social Paroquial de Ovar. Tem colaborado com a companhia de teatro Contacto, com a Divisão de Cultura, Biblioteca e Património Histórico da Câmara Municipal de Ovar.
Interessado desde muito novo pelo jornalismo, escreveu centenas de artigos em diversos jornais, tendo sido chefe de redacção do “Correio de Azeméis”, sendo actualmente director do jornal quinzenário “João Semana”, da Paróquia de Ovar.
Tem também já alguns livros e artigos de investigação publicados, escreve poesia, faz recolhas etnográficas e etnológicas, divulga e incentiva o conhecimento de personalidades locais, tentando dar-lhes a justa visibilidade.

BODAS DE OURO
(1958-2008) 

"Cinquenta anos de dedicação a Deus e ao seu povo, em serviço contínuo duma vida entregue, este sim, é ouro de lei; ou melhor, é ouro da graça! É no seu rebrilho que envio ao Padre Bastos o maior dos abraços, o agradecimento inteiro." (Bispo do Porto D. Manuel Clemente)